De tudo que eu disse  nasceu o silêncio, 
do tanto que se andou, mudamos  de norte.
Tanto amanheceu  que veio a penumbra,
que nunca nos abalou e que nunca pediu nada em troca

Deixa passar esses dias. Deixa adoecer
Quanto mais longe estiver,  mais vamos crescer
Mais vamos rodar por aí  em felicidade ideal.
                                            
E se isso não for nada, dê sinais , mas se isso lhe agrada, peça mais. 
Faça mais….Mais um pouco de amor e caos.  

Desce pra rua agora, vem aqui com sua fé
Na ladeira dos Pobres Mortais estaremos de pé
Acuados no coração, decididos a mudar de voz. 
Com o melhor do que houver em nós

Para brincar de dignidade em si  e   
Brindar às trincheiras que usamos aqui.
Saudar o dia que nasce em sol 
Lutar pelos filhos  que crescem lá em nós

E numa segunda voz  vamos ser harmonia,
Um pouco de distorção,
afinal somos nós agora, Só nós agora.

E se isso não for nada, dê sinais, mas se isso te agrada, peça mais. 
Faça mais….Mais um pouco de amor e caos.

Bateria: Marcelo Vig
Contrabaixo acústico: Bruno Migliari
Piano elétrico, samplers,guitarra e voz: HB .