Se essa poesia que adormece no seu rosto continuasse mais um pouco.
Se a minha covardia não intimidasse o louco, eu juro que seria outro.
E se talvez a sede de vingança que alimenta a esperança
por eternidade calasse.
Talvez eu conseguisse até argumentar,
ou talvez fosse apenas hora de ficar calado, em fim.

Se essa poesia que reside no seu rosto continuasse mais um pouco.
Talvez se ela descesse pelas partes mais sinceras e um pouco mais aconchegantes,
talvez já fosse hora de me concentrar,
ou talvez ao contrário fosse tempo de partir pra cima…

Se essa poesia não encorajasse tanto,
hipnotizaria menos,
e se a filosofia não explicasse esse momento,
me preocuparia um pouco,
Mas  se a geografia das palavras que se enrolam me orientassem  mais na direção do seu olhar.
Não vejo como a tarde poderia se acalmar,
repito que seria mesmo hora de partir pra cima...

Se você chegar…

Se você disser que vai
Se estiver livre quinta, se estiver bom o mar
Se quiser nadar comigo ainda hoje
é hora de partir...
Se você disser que vai
Se estiver livre quinta, se estiver bom o mar
Se quiser nadar comigo ainda hoje
è hora de partir... Pra cima.

Vozes: HB e Katia Jorgensen.
Bateria: Marcelo Vig.
Piano, violão, acordeão, guitarras,
sampler de cello, órgão e voz: HB